segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Counter-Strike: Global Offensive


Plataforma: PS3, XBOX 360 e PC
Ano: 2012
Gênero: FPS Multiplayer

Doze anos depois do original, Counter-Strike retorna na PSN e LIVE. Quem tem lá pelos seus vinte e poucos anos e gosta de games, certamente já jogou Counter-Strike. Apesar de não ser o primeiro, com certeza foi um marco no quesito multiplayer. Isso se deve pelo seu realismo e excelente execução, principalmente por ser um versus cooperativo de times.

Não bastava sair matando todo mundo que visse pela frente, como em Quake III Arena (marcou a minha infância também). Quanto melhor a estratégia em equipe, mais bonito e maiores eram as chances de vencer.

Com o grande crescimento nas Lan Houses, o jogo se torna um fenômeno. Todo mundo praticamente só jogava CS (tirando dois que pagavam para jogar Tibia e um que ficava no Battlefield 1942 jogando com BOT e pedindo para todo mundo jogar com ele). Eu gastei muito do meu rico tempo (e dinheiro da minha mãe) com horas de jogatinas. Fiz até vários corujões, com direito a um Paco Burger na pausa.

Alguns anos depois, com o Half-Life 2, lançaram junto o Counter-Strike: Source. Todo mundo adorou e jogou viciadamente? Não! O que se via era Lan Houses cheias de pessoas ainda jogando o clássico Counter-Strike 1.6. Eu particularmente sempre gostei do Source. Era praticamente o mesmo jogo, porém com uma física mais realista e melhores gráficos. Eu sei que online o Source bombava, só nas Lan Houses que não obteve tanta aceitação.



Eis o problema (ou não) do Global Offensive. Ele é exatamente o Source com algumas modificações. O jogo possui mais armas. Basicamente são as mesmas, porém com mais opções do sub-metralhadoras e pistolas (são as mesmas para os Counter Terrorists e Terroristas). A maior diferença está no Molotov, que ateia fogo no chão e quem passar por cima leva dano. Muito útil para obstruir corredores como na Dust. Os gráficos são praticamente os mesmos do Source. Ficam bem atrás de jogos como Modern Warfare, mas nem é essa a proposta do Global Offensive, ainda mais por ser jogo para baixar e com um preço bem acessível. O que achei legal foram as skins, que variam de mapa para mapa (apesar de não dar para escolher). Dependendo a região, muda o grupo terrorista e o uniforme dos contra terroristas.

Nos modos de jogo ainda temos o de reféns, onde os Contra Terroristas devem resgatá-los e os Terroristas devem impedir e o da bomba, onde no mapa possuem dois lugares onde os terroristas devem plantar a bomba e os Contra Terroristas impedir. A grande diferença está no modo corrida as armas e Demolição.



Corrida as Armas é um modo onde a cada jogador do outro time que você mata, sua arma muda na hora. O primeiro que matar usando 26 armas diferentes ganha a partida. O diferencial é que a ultima arma é uma faca dourada, tornando mais difícil de ganhar a partida, ainda mais que se você morrer muito com ela regride para a arma anterior. Lembra bastante mapas estilo Fy Pool Day, de mata-mata, porém não é tão legal. Seria um modo bom de se colocar, com as armas espalhadas pelo chão, só para dar uma desestressada.

Demolição, eu particularmente não joguei muito pois não gostei. É praticamente o modo clássico, só que você não compra armas, vai ganhando conforme vai matando os inimigos.

No modo clássico os mapas são os mesmos de sempre, como Aztec, Dust 1 e 2, Inferno e Italy. Eles passaram por algumas alterações como na Dust, no túnel, colocaram uma passagem para subir pelas laterais, facilitando a vida de quem fica encurralado lá pelos snipers com AWP.

O que me frustrou um pouco foi a inflexibilidade entre uma partida e outra. Se você escolheu o modo de reféns, vai ficar nele até cansar ou então deverá sair da sala e procurar outro jogo para procurar o da bomba. Não existe o mesmo dinamismo que existia antigamente de ficar revezando os modos, que era muito bom. Por um lado até que é bom, pois você só joga aquilo que quer, mas acaba tirando o clima dinâmico do CS de ficar trocando os modos.



Também é horrível que ou você joga casual ou competitivo, não tem como editar as especificações da partida. Por exemplo, no casual são 10 rounds, com fogo amigo desligado e colisão entre aliados desligada (ou seja, você atravessa o seu aliado, ele não obstrui seu caminho) e já começa com os kits de colete e defuse para bomba. Já no competitivo são 30 rounds, com colisão entre aliados ligada, fogo amigo ativado e não começa com colete e defuse, você deve comprar. Isso é uma merda pois as especificações que todo mundo jogava no CS antigamente era: Partidas por tempo, colisão entre aliados ativada (dava para fazer a pirâmide humana),fogo amigo desligado e não começava com colete e defuse.

Counter-Strike: Global Offensive vale a pena para quem tem XBOX ou PS3 e quer um jogo barato para jogar multiplayer e relembrar os velhos tempos de Counter-Strike. Para quem tem PC, eu não recomendo muito pegar devido a suas limitações, pois vale mais continuar com seu Source completo, com mais mapas a maior flexibilidade nos modos de jogo.

Nota: 8,5

(É melhor que Modern Warfare. Desabafei)

PS: Imagens retiradas do site http://store.steampowered.com/app/730/